Vale do Jequitinhonha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Vale do Jequitinhonha é uma terra muito, muito mas muito distante, com 5 moradores, fundada ou descoberta em 2014. A sua capital é Diamantina, mas esta frequentemente está negligenciando a sua região e insiste em dizer que faz parte é da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mas além da capital, a região possui cidades importantes, relevantes e muito avançadas, como... como... er... como Ponto dos Volantes e... Santa Maria do Salto...

Geografia[editar]

Um tipo de monumento decorativo muito comum na região do Vale do Jequitinhonha.

Ao escutarmos a palavra vale pensamos logo em duas montanhas do Himalaia e o vão em seu centro, mas o Vale do Jequitinhonha não é lá aquilo que se diga nossa mas que vale nítido! Todavia está na parte baixa da Serra do Espinhaço. Embora reclamem da seca, a região é toda cortada pelo Rio Jequitinhonha, mas como todos que vivem lá são semi-analfabetos, nada sabem fazer com toda sua riqueza natural, e permanecem vivendo em atraso completo.

O Baixo Jequitinhonha é a porção mais norte, quase na Bahia, cujo clima, vegetação e povo é o mesmo do sertão nordestino. Numa situação normal, este pedaço seria algo da Bahia, mas como há muito tempo descobriram diamante em Diamantina, toda aquela região acabou sendo considerada Minas Gerais só por via das dúvidas. Como não tinha nada lá, o Baixo Jequitinhonha é atualmente a região mais esquecida do Sudeste do Brasil.

O Médio Jequitinhonha é como o nome diz, aquele meio-termo, não está tão fodida assim, mas também não é nenhuma maravilha. Ainda não se recomenda morar por lá.

O Alto Jequitinhonha na verdade é quase Belo Horizonte, então já é um lugar melhor de clima mais aceitável.

Economia[editar]

Esta terra onde tudo que se planta morre é conhecida por abrigar a maior parte dos beneficiários do Bolsa Família ou do Vale Gás de todo o Sul-Sudeste do Brasil. Possui uma vasta cobertura de 3G e futuramente no ano de 2500 os moradores dessa pequena área receberão uma conexão de 4G. Lugar onde quem possui um iPhone (pode ser o primeiro mesmo) é considerado o Bill Gates da cidade.

Como se sabe, a maior fonte de renda da região vem da Jequiti que precisa pagar direitos autorais pelo nome da marca, porque de resto é impossível conceber como se ganha dinheiro nesta região. Não há plantações, não há mineração, não há pecuária, no máximo subsistência de cactos da caatinga.

População[editar]

O local abriga alguns bandeirantes perdidos no tempo, nordestinos perdidos, mineiros que torcem para o Flamengo, a alma penada do Steve Jobs e mais outra meia-dúzia de desafortunados.

Cultura[editar]

É um povo da luta