David Gilmour

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bebê tocando guitarra.jpg Este artigo é sobre um GUITARRISTA!

Ele idolatra o Rock como se sua vida dependesse disso e sua técnica milenar vem da terra.


Cquote1.png Vamos fazer barulho Cquote2.png
David Gilmour sobre mais novo estilo musical do Pink Floyd

Cquote1.png Que tipo de barulho? Cquote2.png
Roger Waters

David Gilmour e sua infância prodígio

Cquote1.png Assim ô: IOOOOOOM XAXAXAXAXAIIIIIIII XUMM TATATATATA Cquote2.png
David Gilmour
Cquote1.png Isso é Pink Floyd, seu filho da puta, e não a banda Calypso Cquote2.png
Roger Waters sobre a ignorância de Davi Gilmar
Cquote1.png Chuuuuuuuupa, Waters! Cquote2.png
David Gilmour rindo por dentro depois de ver a cara do Waters com o sucesso de The Division Bell

David Gilmour (a.k.a. Davi Gilmar ou David Glamour), também conhecido carinhosamente pelos "fãs" como pança, foi compositor do Pink Floyd entre os anos 60,70, 80 e 90. David Gilmour entrou no Rosa Froid em 1968, foi o integrante da banda que mais mudou de vida durante o Pink Floyd. Entrou na banda magrelo, pobre e cabeludo, e saiu da mesma banda, gordo, rico e careca.

Fatos[editar]

David Gilmour esmagando uma fã!

Com a saída do louco cheirador de gatinho, Cidão Barreto, David foi convidado por Rogério Águas vocalista do Pink Floyd para fazer parte da banda.

David mudou totalmente o estilo de música do Pink Floyd, que saia de um estilo, rock brega, para entrar em um estilo Rock Cafona. Começou a inventar vários sons diferentes para serem gravados nos álbuns do Pink Floyd, como sons de latidos, espirros, mastigação, gemidos, buzinas, carros, cavalos, motores, gatinhos fornicando, enfim tudo qualquer som que nos atormenta dia a dia, virou música para os ouvidos de David Gilmour.

Biografia[editar]

Milla Jovovich David Gilmour com 15 anos de idade.
David Gilmour quando entrou para o Pink Floyd

Nascido em 1900 e guaraná com rolha, David era um menino fanático por futebol e por seu violão de brinquedo que tinha apenas 2 cordas, dado pelo seu pai quando criança. David insatisfeito com a qualidade do som de seu violão, então desde moleque aprendeu um novo jeito de fazer música, resolveu reunir todos os tipos de sons que ouvisse pela frente. Para David, todo barulho era música. David, como dizia seu pai, era um garoto que conseguia dormir tranquilamente nas viradas de ano, ao som de fogos de artifício sem nenhum problema. Era o único morador da rua, que soltava gatinhos na sua rua para fazer com que os cães latissem e assim à noite fazendo com que assim David dormisse tranquilamente ao som de latidos, miados e berros dos vizinhos pedindo para os animais calarem a boca.

Em 1968 com 24 anos de idade, viu a saída do cheirador de gatinho, Cid Barreto do Pink Floyd, e foi logo puxando sardinha de Rogério Águas que o convidou mais tarde para substituir Cid.

Assim surgia a nova era do Rock Cafona do Rosa Freud.

Saída de Roger Waters[editar]

Davi Gilmar começou ao longo do tempo, aparecer mais que Rogério, o que deixava o baixista morrendo de inveja. Então Águas deu um pau em David com os novos álbuns que ele fez: Dê Ual e Animal! que acabam sendo um tremendo sucesso, e mostrando que quem mandava naquela porra era ele! As coisas se convertem. Gilmar ficou na merda e Águas ainda resolveu ficar com o nome do Rosa Freude só para ele. Porem não conseguiu, perdeu o nome na Justiça e acabou passando resto de sua vida vivendo de carreira solo e fazendo Playbacks em casas musicais sujas de urina e vômito.

A era Gilmour no Pink Floyd[editar]

David Gilmour em um momento intimo com microfone, motivo de muita inspiração

Com a saída de Rogério Águas, Davi acaba levando a banda nas costas. O primeiro álbum sem Rogério Águas (um momentaneo lapso de razão) foi perfeito comparando ao lixo do último álbum "o corte final". No último álbum, Davi Gilmar, sem ter o que compor pediu para sua mulher o ajudar e compor as músicas para banda pois não tinha mais criatividade. Stephen Hawking, novo integrante da banda cantou com sua voz metalizada em uma música do sino da divisão. O mesmo ao terminar de cantar no show, quebrava sua cadeira no palco como um sinal de devoção ao rock'n'roll. Stephen também não conseguia mexer sua cabeça para frente e para trás (head banging), então uma das cantoras contratadas sacudia sua cabeça e levantava seu braço para fazer o sinal do metal (\m/).

Fim do Pink Floyd[editar]

David após sair do Pink Floyd

Em 1996 David dava fim ao Rosa Freud, porque a banda não teria como seguir sozinho com um tecladista punheteiro e um baterista chapado viciado em Fórmula 1. Vendo que a banda ia direto pra falência, David aposenta o circo em 1996.

Davi começa a criar a discografia solo de sua vida. Músicas que falavam desde o seu nascimento até a dor que ele sente hoje pela sua castração. Dentre tais discos só se salvam "Atôa na ilha", "Rememberela da Noite: Ao vivo na sala do Alberto" e "Live at Guindaste", este último foi lançado em 32 versões, sendo que cada não vendeu sequer vendeu uma cópia, batendo assim o recorde de vendas de sua discografia.

Em 2016 lançou uma última tentativa de sair da pindaíba, lançando o "Rateia aquela tranca", onde, por falta de criatividade, todas as músicas terminam em fade out e o single principal é plágio assumido de um jingle de uma linha de trem da França (onde ele adora ir comer).

Hoje David passa grande parte de sua vida se deliciando em lanchonetes do McDonald's, e praticando esporte saudáveis para se manter em forma... em forma de peixe-boi.